13/12/07

Um hífen

Talvez o principal problema deste blogue - escusam de encher a caixa de comentários a apontar todos os outros problemas - seja uma mísera marca linguística. Um hífen.
Começou bem, com pinta de blogue decadentista com pretensões a qualquer coisa que nunca se veio a tornar (não explico). Prossegui, seguindo as indicações do blogger - todos os passos, o nome, que não sei já como surgiu mas que me pareceu evidente, o nome que assina, e... o url. Não aceitou à primeira a proposta: que existia um qualquer auto-retrato. A banalidade do título tinha o seu preço. Adiante. Inverti a ordem das coisas. E de algum modo, sempre que tenho de digitar retrato-auto, lembro-me do mecânico bate-chapas onde o meu pai levava o carro - a palavra bate-chapas espichada na parede de cimento da oficina, a tinta a escorrer por ali abaixo para sempre. Há fardos mais pesados.
O problema é mesmo a ortografia. Em tempos, a questão colocou-se de forma muito simples: deveria escrever Auto-Retrato, a forma correcta (como isto é um título, vá lá, uma espécie de título, as duas palavras que compõem o termo começam com maiúsculas) ou Auto-retrato, a grafia adoptada por alguns blogues que linkaram este? Como mudei durante algum tempo, acabei por deixar ficar assim como está, até porque aprecio mais a anglicização do termo, a partir de self-portrait (e que me desculpe o André, principalmente ele, que jogou as suas cartas a favor da primeira versão).
Muito tempo depois, como numa história infantil, tenho diversões versões do nome grafadas pela blogosfera fora. Auto-retrato, Auto-Retrato, simples; mas também retrato-auto ou Retrato-Auto, ou Retrato-auto(o que eu aprecio bastante, tendo a conta a tal história do bate-chapas), auto retrato e Auto retrato e Auto Retrato, todos sem hífen, talvez para poupar a maçada de pensar em qual será a grafia correcta. Mas o meu preferido, porque simplifica (e de que maneira) as coisas, tem de ser o do Rogério Casanova. Ora bem, a sua fantástica ginástica linguística chegou a um hermético O Invisual Grego às Avessas. Confesso que levei tempo (pr'aí... hum... três minutos) a descodificar o anagrama, mas haverá melhor definição do que tem sido feito neste blogue, desde o início?
Talvez fosse boa ideia fazer um acordo ortográfico com todos os blogues que hiperligam o auto-retrato: e que tal mudarem o nome deste blogue, na barra de links, para O Invisual Grego às Avessas?

(É claro que bati, de longe, o meu recorde de auto-linkagem. À consideração da Carla, para a série metabloggers do it better.)

Adenda: devido ao acto caridoso de um comentador anónimo (os meus preferidos), corrigi o nome em cima. Lamentavelmente, já muitos leitores tinham mudado o nome do link para um versão incorrecta do anagrama. Portanto, poderão corrigir para a versão correcta (O Invisual Grego às Avessas), ou não, ou voltar à forma inicial (Auto-retrato), ou não, ou o que quiserem. Não acredito em Deus (e ele, pelo andar da carruagem, também não deve acreditar em mim) nem em direitos de autor. Mas gosto de adendas. Da aliteração. Bonito.

[Sérgio Lavos]

12 comentários:

AMC disse...

Eh pá, não te esqueceste...
E eu que me acho indefensável...
Se fores ao Ciberdúvidas vês que anda ou andou tudo à batatada sobre a forma de grafar as palavras compostas, quando incluídas num título ou representativas de cargo ou instituição: Procurador-Geral ou Procurador-geral? Estado-Membro ou Estado-membro? A doutrina divide-se, se bem que prefira a 1.ª forma... teimoso.
Abraço

Sérgio Lavos disse...

Parece-me que a forma tradicional, i.e. a correcta, é a a primeira. Mas... acabo por gostar mais da forma bastarda, porque distingue uma palavra composta de um título composto por duas palavras sem hífen. Na gramática do Celso Cunha e do Lindley Cintra a primeira é a correcta, mas a verdade é que eu tive de levar, em tempos, com a gramática generativa (agora travestida em TLEBS). Enfim, é difícil chegar a uma conclusão.

Nuno disse...

olha a minha opinião (a de quem chegou aqui pela primeira vez precisamente agora) de um blogue que tem uma frase como aquela lá em cima no header (uma frase que há poucas horas ouvi o morrissey dizer) só pode ser boa. vou ler o resto e já cá passo

She disse...

ah, q blog tão giro cheio de coisas giras pra ler! =O
eu gosto de "retrato-auto" , soa a diferente e o diferente é (quase) sempre bom!

(ah, e peço desculpa pela invasão)

FF disse...

Falta um "o" no anagrama, tem de ser "O invisual grego às avessas".

V. disse...

A primeira forma, para além de correcta, é a mais bonita. Obrigado.

V. disse...

Sérgio,
Só volto cá quando o nome deste blogue for alterado para "Auto-Retrato". Obrigado pela compreensão.

Cumprimentos,
V.

P.S.: Instruí pessoa de confiança para que ela me alerte quando a alteração estiver em vigor.

Sérgio Lavos disse...

Caro V.

apesar da leve sugestão que a inicial sugere, um V. não deixa de ser um V. Por isso, caso queira mesmo que eu mude o nome do blogue para Auto-Retrato, identifique-se, aqui ou por mail, como achar mais conveniente. E pode crer que eu próprio terei essa pessoa de confiança debaixo de olho - é para isso que serveo sitemeter. Pena é que deixe de ler o que se vai produzindo por aqui. Não perde muito, é um facto. Mas poderia se perder o tempo em coisas ainda piores.

Saudações,

S.

A. disse...

Sérgio,
Juro que eu e o V. não somos a mesma pessoa... Até porque não há texto teu que deixe por ler.
Tu sabes quem eu sou, o da dupla maiúscula. :)
A.

Sérgio Lavos disse...

Caro(a) A.

Mau, mau, maria... agora escrevem todos com iniciais? O V. sei quem é (descobri depois de ter escrito o comentário mais acima), mas A. da dupla maiúscula? Não apanhei. E de qualquer modo, não deve ser de confiança; se não há texto meu que deixe por ler, tem, no mínimo, mau gosto... e muito tempo em mãos, com certeza.

As melhoras,

S.

FF disse...

Caro Sérgio Lavos,
Fui eu que reparei que faltava o "o", só não reparei que era um comentador anónimo: julguei que o link nas iniciais remetia para o blogue. Agora que aqui voltei, assino como o nome completo.
Cumprimentos do
Francisco Frazão
usinesombre.blogspot.com

W. disse...

Caro S.,
Eu sei quem é A. - toda a gente sabe.

V. manda cumprimentos.

Um abraço,
W.