31/08/07

Morte aos assassinos

Eu gostava de ter visto o mesmo empenho que muitos bloggers agora estão a ter quando, há uns tempos, se falou de uma reunião de partidos de extrema-direita europeus em Lisboa, organizada pelo PNR. O empenho em corrente que protesta contra o facto de um evento cultural organizado por um partido político, uma organização privada, portanto, com regras próprias, neste caso o PCP, convidar alguém, neste caso uma organização de extrema-esquerda, as FARC, para a Festa do Avante, é admirável. Repare-se, o movimento iniciado por Tiago Barbosa Ribeiro, do blogue Kontratempos, e logo secundado por meia blogosfera de direita, não se insurge (belo e liberal termo) em particular contra a presença de membros de PC's de países comunistas, embora o facto seja referido; o principal problema é mesmo a FARC. Um pedido a todos os subscritores desta corrente: quando Robert Mugabe visitar Portugal a convite do Governo (que, não sei se sabem, representa todos os cidadãos do país, ao contrário do PCP, que representa apenas os seus próprios eleitores), redobrem o esforço, multipliquem a indignação, protestem, protestem contra o indigno gesto do Estado português. E, já agora, gostaria de ver outra coisa que não a menorização e desculpabilização da extrema-direita portuguesa nos prezados blogues associados deste benemérito gesto da próxima vez que, sei lá, ela decidir colocar um cartaz de teor racista em pleno Marquês do Pombal ou organizar reuniões com elementos comprovadamente criminosos, portugueses e estrangeiros, e que, para além do mais, querem lançar "a vertigem totalitária onde quer que actuem".
Sem falar dos estados criminosos que empurram outros países para o caos e para a deriva totalitária; e que matam gente aos milhares. Democracias, diziam?
Éramos todos tão perfeitos se fôssemos coerentes, não éramos?

[Sérgio Lavos]

1 comentário:

leonor simões disse...

awaiting moderation.

Se vocês, embora com nuances, articulam toda uma campanha contra o PCP e a Festa do Avante, em que dizem todos quase o mesmo, não se queixem de eu colocar este comentário por toda a parte.

Começo por dizer que é absolutamente indecente e desonesto o truque aplicado este ano à Festa do Avante!.

No ano passado, «eram mesmo» as FARC, segundo alguns blogues.Agora passaram a embirrar com o PC da Colômbia que o Diário de Notícias, com grande autoridade e isenção, transformou no «braço político» das FARC.

Uma só pergunta: se, por acaso, o PT brasileiro fôr um dos muitos partidos sul-americanos que não condenam as FARC não deveria ser convidado pelo PCP para a sua Festa ?

Eu também lamento o rapto da Ingrid e desejo a sua libertação sobre a qual se pode ter essa esperança pois se julga que esteja viva.

Mas não deixem de ler este extracto de uma noticia no Le Monde online de 12.07.07:

«Un procès sans précédent vient de s’ouvrir à Birmingham, en Alabama. Une entreprise américaine, la compagnie minière Drummond, qui exploite du charbon dans le nord-est de la Colombie, est accusée d’avoir financé l’assassinat de trois syndicalistes colombiens en mars 2001. L’affaire est suivie de près par les milieux économiques : pour la première fois, une entité américaine pourrait être poursuivie pour des faits commis en territoire étranger.
Après la sélection des jurés, lundi 9 juillet, le tribunal fédéral de Birmingham a entendu, mercredi, les avocats. Le défenseur de la compagnie, William Jeffress, a tenté de remettre les faits dans leur contexte. Les syndicalistes “ne méritaient pas de mourir, a-t-il dit, mais ce sont trois hommes parmi des milliers de syndicalistes assassinés en Colombie”.»

E reparem bem no que disse o mais que insupeito advogado americano : «milhares de sindicalistas».

Para estes não há qualquer esperança pois estão debaixo de sete palmos de terra.

Não quererão V.Exas. mais o Diário de Notícias ter uma palavrinha de solidariedade para com as suas famílias ? O PCP da Colômbia está farto de as ter e não poucos dos seus militantes e dirigentes estão nesses milhares de sindicalistas mortos (e não foram as FARC que os mataram).

Haja um pouco de pudor.Se quiserem mantenham a campanha pela libertação de Ingrid Bettancourt, Mas não vos ficava mal lançarem uma campanha exigindo ao PSD, ao CDS e ao PS que reclamem do Governo de Uribe a pronta responsabilização e julgamento dos executantes e mandantes dos assassinatos na Colômbia de «milhares de sindicalistas».

O silêncio que, em épocas de ataque ao PCP e à Festa do Avante por causa das FARC, uma data de blogues faz em torno dos assassinatos de sindicalistas e das ligações indiscutiveis do regime de Uribe ao narcotráfico revela falta de isenção, esquematismo preconceituoso e, pior que tudo, que essa «ralé» de trabalhadores e sindicalistas mortos (muitos dos quais membros do sacrificado PC da Colômbia) não vos merece grande atenção, nem pena, nem indignação.

Mesmo à esquerda, parece pois que há um certo «espirito de classe» a guiar os pensamentos e as condutas.

E por favor não assobiem para o lado nem fujam aos quesitos colocados porque isso é cobardia política e intelectual.